Relacionamentos, relacionamentos e relacionamentos… Estes são os temas principais de The L Word, que em conjunto com outros assuntos abordados como relacionamentos e relacionamentos, formam um seriado bem monótono, apesar das cenas quentes protagonizadas quase que exclusivamente por mulheres… lésbicas!!

O seriado acompanha a vida de um grupo de amigas lésbicas, em uma vizinhança bem acostumada com o homossexualismo. Quando Jenny, uma garota do interior de família tradicional, chega à cidade e passa a morar com seu namorado, ela conhece Bette Porter, uma diretora artística bem sucedida, e sua esposa Tina Kennard, que buscam um homem afim de doar esperma para realizarem o sonho de serem mães. Ela conhece também Alice Pieszecki, jornalista bissexual assumida, Shane McCutcheon, cabelereira “mulherenga”, e Dana Fairbanks, uma tenista em ascensão que ainda reluta em assumir publicamente sua opção sexual.

Mas é somente quando Jenny encontra Marina Ferrer, dona da cafeteria “The Planet”, é que sua vida começa a mudar. Levada por toda essa nova atmosfera, Jenny se envolve com Marina e passa a questionar sua opção sexual.

Ao contrário de séries como Lost e Friends, por exemplo, que possuem mistérios, suspense, ação e comédia e prendem o espectador a cada episódio, The L Word explora os relacionamentos entre as lésbicas, mostrando que estas mulheres têm uma vida absolutamente normal. Apesar do tema ser ainda um tabu e chamar atenção de início, tramas muito simples e previsíveis, com histórias de amor, traição, brigas e ciúmes tornam o seriado cansativo demais. É tão cansativo que, em muitos momentos, parece uma novela, apesar da filmagem de qualidade, sem tantos closes e cortes.

O roteiro não é nada excepcional e não é capaz de, sozinho, prender a nossa atenção por muito tempo. Ainda assim, The L Word surpreende pela coragem dos produtores em explorar o tema sem preconceitos e pela naturalidade com que as cenas mais quentes acontecem.

Vale ressaltar aqui duas belas atrizes: Erin Daniels (Dana Fairbanks) e Sarah Shahi (Carmen de la Pica Morales). Sem dúvida as mais lindas do seriado e que nos brindam com cenas quentíssimas.



Apesar de não julgar The L Word um ótimo seriado, sugiro que assistam e comprovem algo que eu sempre disse:

Toda mulher gosta de outra mulher… só não sabe disso!

Thiago Barrionuevo

da nossa pátria amada, chamada Brasil!!!
.
.